Portal CNM

(61) 2101-6605

Municiência - Municípios Inovadores
Municiência - Municípios Inovadores


Universidades e Municípios vivem o desafio da aproximação

Espalhe esse conteúdo:

Facebook
Quinta, 28 de setembro de 2017.

Ag. CNMOs potenciais arranjos institucionais com o propósito de oferta de conhecimento pelos centros de ensino, especialmente diante das demandas municipais por apoio em seus desafios na gestão, foram o tema central do terceiro e último painel do Diálogo Municipalista de Ouro Preto (MG), promovido pela Confederação Nacional de Municípios. O propósito principal do debate teve, entre outros objetivos, aprofundar a discussão sobre a importância dessa relação, entre centros de estudo e pesquisa e municípios.

Participaram da mesa de debate o diretor de relações institucionais da Universidade Federal de Viçosa (UFV), Alair de Freitas, o pró-reitor de extensão da Universidade Estadual de Londrina e vice-coordenador do FORPROEX-Sul, Gilberto Hildebrando, a reitora da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), Cláudia Marliére e o diretor do Instituto Federal de Minas Gerais – Campus Bambuí, Rafael Bastos Teixeira.

O diretor executivo da CNM, Gustavo Cezário, conduziu a intermediação do debate. Dentre os diversos pontos levantados, destaque para o depoimento da reitora da UFOP, Cláudia Marliére. Segundo ela, a experiência tem mostrado que as parcerias dessas instituições só são possíveis quando há a sensibilização de que todos fazem parte do desafio do desenvolvimento.

“A falta de recursos, hoje, não é só um problema para as universidades, mas também para os municípios”, afirmou. “Acredito que, especialmente em horas de crise, temos de buscar os caminhos, entender o que queremos, que sociedade e universidade nós desejamos criar”, completou.

A reitora defendeu que as relações entre essas instituições devem ocorrer em âmbito institucional, independentemente dos prefeitos em gestão. “As parcerias estão além da prefeitura e do reitor, pois devem ser preservadas com ações, projetos e acompanhamento”.

Gilberto Hildebrando enfatizou que a extensão universitária no Brasil é muito diferente de outros lugares no mundo, impactando a vida do aluno do início ao fim dos programas. “Isso é positivo”, afirmou. Ele explicou também que a extensão é, hoje, o princípio de relação entre universidades e municípios e, em sua análise, o diálogo passa também pela discussão dos problemas de natureza das duas partes.

Alair de Freitas também deu um rico depoimento, mostrando que as universidades também buscam aproximaçãso com os Municípios. Ele explicou aos presentes que a Casa dos Prefeitos foi restruturada e agora está vinculada à Diretoria de Relações Institucionais, vinculada à Reitoria da Universidade. Desde então, há um esforço ainda maior por parte da UFV para o fortalecimento das relações com os municípios.

O MuniCiência faz parte do Projeto UniverCidades – Plataforma para o Desenvolvimento e Governança Municipal, realizado pela CNM em parceria com a União Europeia. A iniciativa considera a demanda dos prefeitos e, como uma das primeiras atividades desenvolvidas, realiza pesquisa junto aos gestores para compreender as características de suas demandas por conhecimentos e informações, além de um levantamento acerca dos centros de ensino e pesquisa para identificar arranjos e parcerias já existentes.